Como tratar a diarréia no potro

A diarreia é umas das principais afecções que acometem os potros até 6 meses de idade e podem causar sérios quadros de desidratação e desordens metabólicas. Cerca de 80 % dos potros apresentam pelo menos um episódio de diarreia até os 6 meses de idade, porém, em 70 % dos casos das diarreias as causas são indeterminadas. Os principais agentes bacterianos causadores dessa afecção são Clostridium Difficie , Salmonella SP e Rodococcus Equi , os principais vírus são Coronavirus e Rotavirus , principais protozoários são Eimeria e o Cryptosporium e o Strongylos principal parasita.

A diarreia presente logo após o nascimento sugere infecção intrauterina ou outro tipo de estresse durante a vida fetal ou parto, por isso vermifugação na égua gestante e acompanhamento da gestação e parto são tão importantes.

Diarreia do cio do potro

Considerada a causa mais comum de diarreias em potros recém-nascidos ocorre geralmente aos 7 dias de idade , coincidentemente com o cio da égua , caracteriza-se por um quadro brando e transitório , onde o potro não apresentará alterações além das fezes amolecidas , portanto mantendo esse quadro e a diarreia não persistindo mais de 4 dias não é indicado tratamento. Causas desta diarreia ainda são muito discutidas , como alterações hormonais da égua que possam influenciar na composição do leite, porém nada ainda foi comprovado.

Tratamento no geral para as diarréias

No geral é de extrema importância manter a hidratação do potro com fluidoterapia , repor a flora intestinal com probióticos ou ‘’chá de coco’,’antibióticoterapia específica para o agente causador ( indicado que sejam realizados testes laboratoriais, como coprocultura, antibiograma e coproparasitológico para que se possa saber qual é o agente causador e então administrar o antibiótico direcionado) ,administrar protetores da mucosa gástrica , anti-inflamatórios não esteroidais , vermifugação , drogas antiespasmódicas e manter o ambiente e o potro sempre o mais limpo possível.

Alguns fatores que podem ser predisponentes e encontrados nos haras são: superpopulação de animais , contaminação ambiental , envelhecimento das propriedades (pastos e animais ) , alterações climáticas, raça , falha na transferência de imunidade para o potro (colostro) ,outras doenças (sepses , pneumonias) e manejo sanitário inadequado .

A diarreia, apesar de comum, não deve ser ignorada e tratada de qualquer forma, pois dependendo do agente causador, pode levar um potro a óbito em menos de 24 horas ou causar danos, como desequilíbrios eletrolíticos que podem trazer consequências muito mais graves , realizar a quarentena de animais recém-chegados , vermifugação em dia e manejo sanitário do ambiente ideal , podem ajudar muito a evitar casos de diarreia , e a qualquer sinal de animais com diarreias persistentes , apáticos , que não se alimentam direito ou que apresentem qualquer anormalidade, chame um veterinário.

 

Bruna B. Zaharov Simon
Proprietária Haras WS e Médica Veterinária
CRMV-SP 32464