Tétano – Vacine-se você também

Tétano é uma doença infecciosa altamente fatal, causada pelas toxinas produzidas pela bactéria Clostridium tetani , os sintomas surgem de uma a três semanas após o contagio e o principal sintoma é a paralisia e enrijecimento dos músculos do animal. Este começa adotar postura semelhante a um “cavalo de pau”, ter dificuldade na locomoção, apreensão dos alimentos, mastigação e deglutição , paralisia, inclusive dos músculos responsáveis pela  respiração, o que leva ao animal morrer asfixiado.

Como é o contagio?

A bactéria Clostridium tetani  penetra no organismo através de ferimentos ou pelo trato digestivo, e este se instala em ambientes fechados e sem oxigênio.  As principais formas de contaminação são através de ferimentos que tenham contato com algo contaminado, como o famoso exemplo de pisar em um prego enferrujado, procedimentos simples também podem oferecer grandes riscos quando não limpos adequadamente e o animal não seja vacinado, como por exemplo, castrações e cotos umbilicais infeccionados, quanto mais fundo a ferida maior a chance de infecção

Como evitar o Tétano?

Vacinação é extremamente eficaz e importante para evitar está doença que mata lentamente e com tanto sofrimento. Deve –se vacinar os potros aos 5 meses de idade e um mês após a primeira dose aplicar um reforço, o indicado é que a vacina seja realizada 1 vez ao ano em todos os animais, quando houver um animal que não se sabe se foi vacinado ou nunca foi vacinado , aplicar a vacina e após um mês aplicar mais uma vez como reforço. É indicado que éguas prenhes sejam vacinadas 1 ou 2 meses antes do parto para que possam passar imunidade ao potro. Quando um animal realizar uma cirurgia ou sofrer algum ferimento é essencial que receba o soro anti-tetânico, por isso, sempre que um animal se ferir, entre em contato com um veterinário.

Por que humanos também devem se vacinar?

As fezes dos equinos e o solo são ricos em Clostridium tetani,  por isso o ambiente que vivem está muito contaminado, e é de extrema importância que todos aqueles que convivam nesse ambiente se vacinem para evitar uma possível  infecção .

Bruna B. Zaharov Simon
Proprietária Haras WS e Médica Veterinária
CRMV-SP 32464