Primeiros cuidados com o seu potrinho

PRIMEIROS CUIDADOS AO NASCIMENTO – Part. II

Entramos na fase do parto, a segunda fase do tema escolhido por vocês, sobre os primeiros cuidados ao nascimento. Esta fase costuma originar muita frustração aos proprietários, já que a expectativa de um nascimento sem problemas e de um potro saudável, domina este momento.

Sempre me preocupei em fazer a transferência das éguas prenhas para o “piquete maternidade” com 15 dias de antecedência da data programada para parição e minha atenção é sempre redobrada em éguas primíparas, (costumo transferi-las com 30 dias, pois geralmente antecipam o parto), ou quando observamos que o úbere já está enchendo (podendo ser indicativo de placentite).

Esta observação do úbere no pré-parto é extremamente importante, éguas com lactação precoce trazem consequências desastrosas na terceira fase, já que os potros que não vão ingerir adequadamente o colostro, logo estarão imunossuprimidos e precisaram de cuidados especiais (colostro e/ou plasma).

Outro cuidado que considero importante é o parto assistido, este cuidado já era adotado na raça PSI, e na raça QM, a algum tempo os potros passaram a ser um valioso investimento em genética e financeiramente custosos aos proprietários, então, porque em uma fase primordial a gente fecharia os olhos?

Esta fase é dividida basicamente em três estágios:

1° Estágio (contração uterina e inquietude),

2° Estágio (aumento das contrações e aparecimento da bolsa amniótica),

3° Estágio (expulsão completa do neonato).

Qualquer alteração em relação ao tempo que os estágios ocorrem devem ser consideradas como fatores importantes na hora de você determinar a intervenção. Éguas sem contração uterina adequada, que apresentam partos distócicos, e a ocorrência da síndrome da asfixia neonatal são casos que podem ser evitados e desta forma melhorar o prognostico da égua e do potro. Devemos sempre lembrar que o parto é uma fase e é destinada a égua e ao potro. É o momento em que ela vai reconhecer sua prole, cheirar, inspecionar e fazer a estimulação do neonato. Sua observação é importante e cada informação te ajudará na próxima fase.

Confira aqui um parto assistido.

Tatiana Figueiredo Paiva
Medica Veterinária – Haras Fábio José
CRMV – SE 0924