Pneumonia em potros causada por Rhodococcus equi

Infecção causada pela bactéria Rhodococcus Equi , responsável por causar uma das mais severas e comuns pneumonias em potros . Diversos prejuízos ocorrem devido a essa infecção , além da mortalidade de potros, gastos com tratamento oneroso e prolongado, e perdas de credibilidade no criatório.

A maioria dos animais se infectam em idade muito precoce , já nos primeiros dias de vida , uma vez um animal infectado a propriedade se torna endêmica, ou seja, portadora do microorganismo por tempo indeterminado.

Características ambientais são fatores críticos que contribuem substancialmente para o desenvolvimento da rodococose. Estudos revelam que a infecção ocorre através da inalação de poeira contendo a bactéria , portanto, é de importante recomendação abrigar os potros em locais bem ventilados , livres de poeira , evitar piquetes de terra e grandes lotações

Como identificar um potro contaminado

Somente através de testes laboratoriais se terá certeza da contaminação pelo Rhodococcus Equi ,e infelizmente se trata de uma enfermidade cujos sinais clínicos podem se tornar evidentes somente em estágios mais avançados e já com comprometimento pulmonar.Portanto, o mais indicado é que em propriedades que tenham ambiente propício para o desenvolvimento da rodococose ou tenham histórico de contaminação seja feito um monitoramento minucioso em todos os potros que venham a nascer , os animais podem ser examinados clinicamente duas vezes por semana ( aferir temperatura , auscultação cardíaca e pulmonar ), notar se o animal apresenta tosse , catarro nasal , e para aqueles que possuem mais recursos e querem ter mais cuidados pode ainda ser indicado o ultrassom/ radiografia pulmonar pelo menos uma vez por semana a partir da primeira semana de vida e também um leucograma quinzenalmente , não apresentando alterações aumentando a frequência para mensal.

Vacina

Não há disponível no mercado atualmente uma vacina comprovadamente efetiva contra rodococose. Porém estudos indicam que a vacinação de éguas prenhes no final d gestação pode reduzir a prevalência da enfermidade nos potros.

Bruna B. Zaharov Simon
Médica Veterinária / Proprietária Haras WS
CRMV-SP 32464