Neurectomia x “Desgovernar”

As doenças ortopédicas são as principais causas de afastamento temporário e/ou definitivo dos equinos de suas atividades. Cerca de 80% das claudicações (manqueiras) são causadas por problemas que acometem estruturas do carpo (joelho) e do jarrete (curvilhão) para baixo, sendo o casco um dos sítios de lesão mais acometidos. O casco possui em seu interior diversas estruturas importantes como tendão, articulação e ligamentos. Sendo uma região bastante sensível devido a presença de grande número de terminações nervosas, desta forma, os problemas nas estruturas do casco como laminite, desmites, fraturas, síndrome do navicular, tendinite e abscessos ( broca/escrava) causam muita dor.
Com os avanços na medicina equina, patologias que antes aposentavam muitos cavalos, agora são tratadas com êxito. Entretanto existem algumas lesões tão graves, que independentemente da terapia empregada, não têm boa resposta terapêutica, o que acaba frustrando tanto os proprietários, quanto os veterinários dos animais, que por vezes recorrem a práticas alternativas ditas como milagrosas, tendo como a principal delas o “desgovernar” o cavalo.

O ato de “desgovernar” consiste na secção de um vaso sanguíneo seguida de sangramento profuso, com ou sem ligadura posterior. É habitualmente praticado por práticos na tentativa resolver manqueiras, que geralmente falharam com tratamento convencional. Após a sua realização é indicado períodos longo de repouso que variam de 6 meses até 1 ano. Não se sabe ao certo quando e, por quem este procedimento foi criado, mas provavelmente foi espelhada nas Neurectomias.

A Neurectomia consiste na secção de um nervo. Nos cavalos a Neurectomia do Nervo Digital Palmar, principal responsável pela sensibilidade do casco, é a técnica mais comumente utilizada. Esta indicada para algumas doenças do casco e quartela (quando se secciona o nervo mais proximal), que não respondem a terapias convencionais. A patologia primária não é tratada, mas, com a secção do nervo os estímulos dolorosos não conseguem chegar ao cérebro e o animal para de sentir dor e consequentemente para de mancar.

Apesar de parecidos, os princípios das duas técnicas são totalmente diferentes e, em teoria o ato de “desgovernar”, não contribui para o tratamento ou melhora na dor de nenhuma das doenças ortopédicas comuns. Provavelmente os resultados satisfatórios obtidos com este ato estejam mais relacionados ao repouso longo no “pós-operatório”, que na técnica propriamente dita.
Desta forma, para as doenças do casco que não respondem a terapia convencional, a Neurectomia do Nervo Digital Palmar, muitas vezes é a única técnica comprovada para melhorar a qualidade ou retornar o animal a suas atividades normais por um período determinado, sendo o ato de “desgovernar” contraindicado em qualquer situação, pois não possui comprovação cientifica e põe em risco a vida do animal, sendo por infecção, hemorragia ou outra intercorrência decorrente da técnica.

 

no-galope-clinica-do-rancho