Décio Talon

Na estreia do nosso Papo com o Feras, vocês terão o prazer de conhecer um pouco mais sobre o trabalho e a vida pessoal de Décio Gaspar Talon, mais conhecido como Décinho, o cavaleiro mais pontuado em Três Tambores da classe aberta da ABQM – Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha – de 2012.
Nascido em São Paulo, SP, a paixão pelo Quarto de Milha começou com apenas oito anos de idade. Hoje, aos seus 24 anos, já garante em sua trajetória muitas vitórias e um grande sucesso profissional.

Confiram abaixo!

– Com quantos anos você começou a competir Três Tambores?

Comecei a competir com oito anos de idade. Corri em todas as categorias, desde a mirim até a amador, para então chegar na profissional e virar treinador de cavalos.

– Quais são seus principais títulos?

Para mim todos os títulos a nível nacional são importantes. Dentre os principais, eu destaco o Campeonato Nacional – ABQM, Congresso Brasileiro – ABQM, Potro do Futuro e a Copa dos Campeões, que são os títulos que já ganhei e que a vitória teve um gosto especial.

– Conte-nos três animais que ganharam destaque em sua sela.

Como treinador, os animais que ganharam destaque na minha sela são: Bilinha Red, Cabocla Red Leo, Zaino Wars, Mister Red Wars, Mister Red Leo, dentre outros. Os mais conhecidos são Bilinha Red, Cabocla Red Leo e agora, os que estão em evidência como potros com um grande futuro, são ST Taboquinha e Legal Red.

– Atualmente você treina quantos animais?

Atualmente, no Centro de treinamento temos 30 cavalos em treinamento com uma equipe de seis pessoas, sendo eu como treinador e mais cinco assistentes.

– Um dos animais de destaque montados por você é a Holland Shake EM, filha de Holland Ease. O que você acha dos animais com linhagem de corrida utilizados em Três Tambores?

Existem linhagens específicas de corrida para o tambor que devemos analisar além do papel do animal a sua morfologia, como também o cavalo como indivíduo. Existem cavalos, que apesar de serem fechados em corrida, possuem índole e morfologia parecidas com os animais de trabalho. São estes que procuramos para o tambor.

Os animais de corrida que possuem estas características possuem grandes chances de virarem um bom corredor nos Três Tambores. Temos sempre que pensar que além de correr o animal também precisa virar, por isso temos que ter cuidado ao escolher um cavalo de corrida para as provas de tambor, analisando também a habilidade do animal. Geralmente, os descartes da corrida que se destacaram no tambor são aqueles que têm uma grande explosão na arrancada, mas que não possuem uma final tão boa, que correm bem nos 100 metros, e são deixados para trás devido a longa distância. Eu gosto muito dos animais de corrida. Os atuais recordistas de tempo em 3 tambores possuem em seu sangue a linhagem de corrida. Claro que isso não é regra, tem exceções.

– Em contra partida, a Bilinha Red que teve muito destaque contigo é o cruzamento corrida x trabalho. Você acredita que este seja o cruzamento “mágico” para o tambor?

O cruzamento corrida x trabalho é o meu preferido, e a maioria dos animais que monto possuem este cruzamento. A mescla da velocidade da corrida com a habilidade do trabalho, para mim, é o cruzamento ideal para a modalidade. A linhagem de trabalho trás constância nos resultados, e os animais que possuem trabalho no sangue costumam ter um temperamento mais tranquilo, sendo mais fácil de ser montado que um cavalo de linhagem de corrida. Mas isso não é regra. Existem também cavalos de corrida fechado com uma constância enorme. Para mim, a corrida com trabalho é o sangue que eu mais me identifico para treinar, habitualmente são cavalos corredores e com grandes habilidades.

– Qual a sensação de ser o melhor cavaleiro de Três Tambores de 2012, ganhando o ABQM Awards, tido como Oscar do QM?

Este título era um sonho que tinha em minha vida, pois não é fácil manter no ano inteiro bons resultados em todas as provas para conseguir se destacar, e ser o melhor na ABQM por pontuação.

É bastante sacrificante, porque você tem que correr praticamente o ano inteiro para não ser deixado para trás e te passarem na pontuação, deixando de competir apenas alguns finais de semana. Entre primeiras e terceiras colocações, foram praticamente uma por semana durante os 12 meses do ano. Ao todo, foram 51 pódios para chegar neste título. A sensação de dever cumprido é muito gostosa. Tudo aquilo que se conquista com suor do nosso trabalho o sabor é diferente. É a realização de um sonho.

– Quais são seus objetivos para 2013? 

É reduzir o número de provas pela metade, correndo apenas as principais, e preparar meus animais para ter o melhor desempenho possível. Como já realizei meu sonho de ganhar o Oscar da ABQM, agora eu quero diminuir o ritmo de provas e tentar buscar mais eficiência que no ano passado, nas grandes provas deste ano. Quero poupar meus animais para chegarem com a melhor performance possível nas grandes provas do Brasil.

– Conte-me um pouco sobre sua vida pessoal. Quem é o Décinho fora das pistas?

Fora dos Três Tambores eu gosto de viajar para praia, ir ao cinema, assistir filmes em casa, jantar fora e churrasco com os amigos.

– Existe uma boa aceitação quando você usa o Facebook como ferramenta de divulgação e mídia para os resultados obtidos nas provas?

Em minha opinião, todas as formas de fomentar e propagar o seu trabalho é importante, e a propaganda é a alma do negócio. Uma das ferramentas para divulgar o meu trabalho é o facebook, um local onde posso divulgar ao Brasil inteiro o meu trabalho e os resultados em pista. Eu já realizei grandes negócios através do facebook, e muitos me conheceram por ali. Enquanto alguns gastão dinheiro de outras maneiras fazendo marketing, outros que não possuem condições de fazer o mesmo usam essa rede social que é gratuita e tem uma grande repercussão em todo o mundo.

Acho que sempre que se mantém a humildade, e tenta-se passar para as outras pessoas os resultados como uma forma de informar que você está no mercado trabalhando e lutando muito para ter sucesso, a aceitação será sempre positiva. 

– Deixe uma mensagem aos competidores que estão começando.

Aos que estão começando a competir, aconselho que procurem um treinador experiente, cavalos firmes e constantes e com boa índole. Muito treino, disciplina, e fé que você é capaz. Sonhar sempre, pois os sonhos alimentam a vontade de viver.