Cuidados com a égua prenhe

Com a chegada da estação de monta é importante que certos cuidados sejam tomados com aquelas éguas que se desejam emprenhar , uma vez que a saúde do potro está diretamente ligada à saúde da égua que o está gestando , independente de ser sua mãe biológica ou uma barriga de aluguel ( receptora ) .

Instalação da égua prenhe

É importante que as éguas prenhes fiquem instaladas em piquetes e não em baias , para que possam se movimentar à vontade, evitando inchaços nos membros e cólicas. A localização do piquete também deve ser de fácil acesso , para que diariamente seja feita uma inspeção para verificar se há presença de qualquer fator de stress ( animais brigando , outros animais no piquete , cercas quebradas etc.) ou se ocorreu algum aborto.

Cuidados na fase inicial

Durante os primeiros 60 dias de gestação é o período com maior taxa de abortos , portanto é indicado que quinzenalmente sejam realizados exames ultrassonográficos para verificar se está correndo tudo bem. Algumas éguas (principalmente as de idade mais avançada) possuem problemas para manter a taxa de progesterona ideal e produzem pouco desse hormônio fundamental , então, sob orientação veterinária, é indicado que nos primeiros 120 dias de gestação seja feita administração de progesterona. Após esse período, a placenta produz e mantém a taxa adequada .

Alimentação

Como em qualquer outra fase da vida do equino , é importante que a égua prenhe tenha água e sal à vontade . Até o sétimo mês a alimentação com concentrado (ração) e volumoso (feno, pastagem e alfafa ) são como das outras éguas; a partir do oitavo mês , é indicada uma alimentação individualizada para que se tenha certeza que a égua ingeriu a quantidade necessária de alimentos.

Vacinação e vermifugação

A vermifugação deve ocorrer como os outros animais (indicada a cada 60 dias) , porém no décimo mês é indicado que seja realizada mais uma vermifugação, para evitar que certos parasitas passem pela placenta, chegue até o feto e causem diarreia assim que este nascer.

Antes de emprenharem as éguas devem ser vacinadas contra raiva, e durante a gestação é importante que sejam imunizadas contra herpes vírus e leptospirose , por serem algumas das principais causas de aborto. No terço final da gestação é indicada a vacinação de tétano.

É importante manter o controle sobre carrapatos , que são vetores transmissores da doença Babésia , conhecida como Doença do Carrapato; uma vez que a égua se contamine , pode passar para o potro e comprometer a saúde do futuro neonato.

A égua prenhe está diretamente ligada ao seu feto, portanto qualquer acontecimento com ela será refletido diretamente no potro. Por isso sua saúde e bem estar é de extrema importância. Antes de se administrar qualquer medicação ou alterar qualquer coisa na rotina da égua, um médico veterinário deve ser consultado, pois diversas atitudes e medicações podem prejudicar o futuro potrinho e até mesmo levar ao aborto.

Bruna B. Zaharov Simon
Proprietária Haras WS e Médica Veterinária
CRMV-SP 32464