Criptorquidismo – Ausência testicular na bolsa escrotal

É uma doença congênita , ou seja que o cavalo nasce com ela , e pode ser unilateral (somente um testículo) ou bilateral (os dois testículos), que nada mais é que a ausência de um ou dos dois testículos na bolsa escrotal, pelo fato de terem sidos retidos em alguma parte da via de migração do ‘’local de origem’’ dos testículos até a bolsa escrotal.

Um equino normal deve apresentar os testículos palpáveis no escroto logo após o nascimento . Quando isso não ocorre , é caracterizado o criptorquidismo , que pode ser classificado abdominal (quando o testículo está retido na cavidade abdominal) , ou inguinal (testículo retido no ‘’caminho” do seu local de origem – abdômen até o escroto). Existe também a hipótese  de retenção inguinal temporária, quando o testículo está retido no anel inguinal porém ainda pode descer para o escroto, pode ocorrer até os quatro anos de idade , os testículos podem ainda migrar para o escroto após a maturidade sexual.

Importante ressaltar que animais criptorquídicos possuem comportamento normal de garanhão ,em maior parte das vezes comportamento exacerbado, já que o testículo é existente e cumpre todas as suas funções, porém  é indicado a cirurgia para remoção dos testículos que não estão na bolsa escrotal, uma vez que se trata de uma afecção que passa de pai para filhos e o testículo na cavidade também pode evoluir para um tumor.

Na prática e em geral os testículos devem estar no escroto até os 24 meses de idade, salvo algumas exceções, após essa idade pode-se considerar um caso de criptorquidismo, e o mais indicado é procurar um médico veterinário especializado em reprodução para que se possa fazer um teste diferencial com hormônio HcG, com o estímulo desse hormônio pode ocorrer a descida testicular, caso não ocorra então é fechado o diagnóstico positivo de criptorquidismo.

 

Bruna B. Zaharov Simon
Proprietária Haras WS e Médica Veterinária
CRMV-SP 32464