Cataratas em equinos

A catarata, uma doença que acomete os olhos, trata-se da opacificação ou perda de transparência do cristalino, estrutura esta que se encontra entre a íris e o humor vítreo e funciona como uma lente natural, sendo capaz de focalizar as imagens. Essa opacificação deixa a visão turva e é considerada a maior causa de cegueira do mundo, tanto em humanos como nos animais.

Causas

Podem ser diversas origens, as mais comuns estão à traumática, congênita e secundária a problemas metabólicos, pode acometer animais jovens e idosos.

A catarata traumática é uma das mais comuns e pode acontecer após inflamações na região do globo ocular ou lesões diretamente sobre o olho. Em outros casos, pode ocorrer a catarata congênita, a qual aparece logo após o nascimento e pode ser uni ou bilateral, focal ou difusa. Potros de até um ano de idade podem apresentar também tal opacificação, chamada catarata juvenil, devido a fatores hereditários ou ainda por lesões causadas por toxinas metabólicas e processos inflamatórios. Já em cavalos idosos, a chamada catarata senil pode aparecer após os vinte anos de idade em decorrência da degeneração do metabolismo do cristalino, sendo neste caso, geralmente, irreversível.

Diagnóstico

É feito pelo relato da presença de sinais clínicos como, coloração esbranquiçada dos olhos, que ocorre devido opacificação do cristalino, e animal apresentando dificuldade para enxergar, e principalmente pelo exame feito através da oftalmoscopia, a qual determina a causa da doença, se é primária ou secundária, traumática, juvenil ou senil, o que é de extrema importância para decidir qual tratamento realizar.

Tratamento

O uso de corticosteroides subconjuntivais e colírios clarificantes, mas estes só oferecem bons resultados em animais que se apresentam no início da doença e quando a causa não é congênita. Existe ainda o tratamento cirúrgico, utilizado em animais idosos ou em processos degenerativos avançados, nos quais o cristalino é extraído por uma técnica chamada facoemulsificação. Nestes casos, o animal retoma a visão, porém mantém uma dificuldade de adaptação visual.

Contudo, é importante atentar a qualquer sinal de mudança de comportamento do cavalo, já que este pode apresentar alguma alteração nos olhos sem ser notado. Sendo assim, uma vez que o animal tome qualquer mudança de postura, principalmente ao esbarrar em objetos ou até mesmo refugar em situações em que nunca o fez, este deve ser examinado por um médico veterinário para que a doença seja diagnosticada no início e as chances de cura sejam maiores.

 

Bruna B. Zaharov Simon
Proprietária Haras WS e Médica Veterinária
CRMV-SP 32464